Claudia Correia

Paixão por vendas

Líder de Vendas

Como aumentar sua motivação no trabalho e da sua equipe de vendas?

Segue uma dica pra vocês.

Primeiramente, tenha tempo para falar com seus colaboradores.

Conheça-os a fundo e ouça suas preocupações, depois faça com que entendam claramente o que você espera deles e permita que dêem suas opiniões a respeito do trabalho, metas e funções.

Após isso, foque nas coisas positivas que eles estão fazendo.

Em seguida, peça a opinião deles sobre como as coisas podem ser melhoradas no trabalho, e finalmente quando eles cometerem um erro, pergunte o que aprenderam com ele, em vez de apenas criticá-los.

Todas as pessoas querem se sentir valorizadas, especialmente no local onde gastam a maior parte das horas que passam acordadas.

É algo simples, porém importante, que os líderes acabam esquecendo por estarem muito focados em seu próprio trabalho.

Existem muitas maneiras de dizer “obrigado”. Seja criativo e tente diferentes formas de mostrar que você está agradecido pelo esforço apresentado.

O “obrigado”, através de gestos ou palavras, deve ocorrer rapidamente, de maneira sincera em público e em particular. Todos os funcionários da empresa devem ter visibilidade e receber crédito pelo que atingiram.

Os funcionários precisam sentir que o trabalho que está fazendo é importante e tem uma razão de ser.

Anúncios

6 Atitudes para aumentar as vendas da Loja

1.Arrume a casa

Antes de pressionar os vendedores por mais resultados, reveja se a empresa e as tarefas diárias dos colaboradores estão corretas e em dia.Você lidera pelo exemplo? Quer dizer, você faz ou apenas diz o que quer?

2.Qualifique seus vendedores

A capacitação do profissional de vendas é o que dá o retorno imediato à empresa. Observe o atendimento do seu vendedor, ele pode estar falando o que não deve ao cliente, e sem perceber afasta a possibilidade de vendas.

Oriente a equipe, faça treinamentos, converse, ajude e atenda bem seu cliente.

3.Liquidação

Embora pareça uma estratégia óbvia para atrair mais clientes, a idéia de baixar os preços nem sempre é a mais inteligente. Trabalhar o preço traz retorno imediato ao fluxo de caixa, mas nada impede que a concorrência também se mexa para atrair consumidores. Vamos fazer o cliente entender isso, ok?

4.Entenda o seu cliente

Qual a necessidade dele? O que ele procura e não acha na sua loja? Qual produto é mais vendido? Qual o preço ideal? Quem é o seu cliente?

O que ele espera da empresa e seus produtos?

5.Trabalhe no seu diferencial

Para potencializar as chances de sucesso, identifique o diferencial competitivo do negócio – como preço e qualidade – e aposte nele.

6.Faça uma análise

  • Da situação atual,( como está a sua loja em resultado, organização e limpeza?)
  • Da situação pretendida, ( quanto você quer vender ?)
  • Do caminho para se chegar até lá, (quanto tempo será necessário?)
  • Dos meios a serem utilizados ,( treinar? Motivar? Mudar? Liderar pelo exemplo?organizar?observar?)
  • Resultados pretendidos, ( melhor atendimento, melhor PA, Metas atingidas).

Com isso  você terá em mãos a estratégia que será adotada para a mudança.

Veja mais informações em

Ame o que está fazendo

Muitas pessoas veem suas responsabilidades diárias como uma repetição e sentem-se cansadas e desmotivadas. Nós devemos parar de olhar o trabalho simplesmente como forma de renda e entender que ele é um ingrediente essencial da qualidade de vida.

Martin Luther King Jr disse: “Se um homem é chamado para ser varredor de rua, ele deve varrer ruas da mesma forma que Michelangelo pintava, ou Beethoven compunha músicas ou Shakespeare escrevia poesias. Ele deve varrer as ruas tão bem que todos os habitantes do céu e da terra pararão para dizer que ali está um grande varredor de rua, que fez seu trabalho com excelência.”.

Para ter sucesso você precisa saber o que está fazendo, como está fazendo, e acreditar no que você está fazendo.

Vencedores na vida são desejosos de fazer coisas que os derrotados se recusam a fazer. Vencedores se preparam, estudam, treinam e trabalham para se tornarem os melhores naquilo que fazem. Aplique seus talentos e torne-se o especialista.

Ame o que está fazendo. O segredo para a felicidade, sucesso e  satisfação em nossa vida não é fazer o que você gosta, mas gostar do que faz. Acreditem naquilo que você faz, pessoas de sucesso estão no trabalho para fazer acontecer. Vá alem das descrições do seu cargo, contracheque ou lista de afazeres. Seja apaixonado e tenha foco no resultado final.

Art Linkletter resume:

  • Faça um pouco mais do que aquilo que foi pago para fazer;
  • Dê um pouco mais do que você tem que dar;
  • Tente um pouco mais do que você quer;
  • Planeje um pouco além do que você crê que é possível;
  • E dê muitas graças a Deus pela saúde, família e amigos.

Exército de colaboradores

Dizem que Napoleão Bonaparte classificava seus soldados em quatro tipos:

  • Os inteligentes com iniciativa;
  • Os inteligentes sem iniciativa;
  • Os ignorantes sem iniciativa;
  • Os ignorantes com iniciativa;
  1. Os Inteligentes com iniciativa eram os comandantes gerais, estratégicos.
  2. Os inteligentes sem iniciativa eram os oficiais superiores que recebiam ordens e as cumpriam com diligência.
  3. Os ignorantes sem iniciativa eram colocados à frente da batalha- bucha de canhão como diz.
  4. Napoleão odiava os ignorantes com iniciativa e não os aceitava em seus exércitos.

Essa grande sabedoria de Napoleão serve também para a nossa empresa. Será que também não temos em nosso “exército napoleônico” esses três tipos de “soldados”? E não serão todos necessários?

Um exército só de generais estrategistas por certo não vencerá batalha alguma. Alguém precisa estar no FRONT. Obedientes oficiais (diretores, gerentes) sem estratégia também não vencem uma guerra.

Soldados (funcionários) dedicados, sem comando, sem chefia, sem direcionamento, também não trazem sucesso à batalha.

Mas, como Napoleão, também devemos ficar livres, o mais rapidamente possível, dos ignorantes com iniciativa. Eles são capazes de fazer besteiras enormes.

O ignorante com iniciativa faz, fala e ouve o que não deve. Ele nos faz perder BONS CLIENTES. ELE ATENDE MAL, POIS ACHA DESNECESSÁRIO A QUALIDADE E PEQUENOS DETALHES.

“UM IGNORANTE COM INICIATIVA É, PORTANTO, UM GRANDE RISCO. NÃO PRECISAMOS DELE. NEM NAPOLEÃO OS QUERIA”.

Luiz Marins

Ganha mais, quem menos faz?

É preciso estabelecer nas empresas critérios de avaliação de desempenho que consigam retratar e desmascarar os que pouco ou nada fazem nas empresas, ou aqueles que com seus comportamentos agressivos e ameaças, inibem as pessoas de denunciá-las ou punir.

Ver maus e bons funcionários sendo tratados da mesma forma é desmotivador. Funcionários dedicados que se comprometem com os clientes, funcionários que se preocupam em saber mais sobre os produtos e serviços da empresa, funcionários que cumprem horários e deveres veem-se desmotivados quando colegas que pouco fazem, falam mal da empresa, da marca que comercializam ,são promovidos ou mesmo mantidos em seus empregos. Qual seria o motivo de tanto comprometimento e dedicação? Questionam os funcionários.

Promoções oriundas de atitudes bajuladoras e não de um bom desempenho profissional ou comportamento ético deve eliminado das relações nas empresas.

A avaliação de desempenho serve para que todos os funcionários sejam avaliados com imparcialidade e transparência, podendo prestigiar e valorizar os bons, os comprometidos, os honestos, os leais e os que realmente trabalham.

Do contrário, continuaremos desmotivando os bons e protegendo os maus, os falsos trabalhadores.

Navegação de Posts